O Portal de notícias de Porto Seguro

Prefeito(a) municipal Humberto Nascimento publica termo de homologação de contratação de Gustavo Lima.

Respeito e seriedade no trato com a coisa pública, principalmente no que se refere à aplicação dos escassos recursos, têm o reconhecimento da sociedade.

0 1.005

É isso mesmo leitores, “prefeita municipal”, não foi erro de redação nossa não, ta lá em letras garrafais, e assinado pelo prefeita municipal Humberto Nascimento, no termo de homologação e ratificação de inexigibilidade para contratação do cantor Gustavo Lima para o carnaval 2018 em Porto Seguro.

Não é a primeira vez que isso acontece, e o ato falho, no meu entendimento, vem de diversas secretarias de governo. Semana passada, eu mesmo chamei a atenção do secretário de comunicação por ter divulgado uma nota em redes sociais dessa mesma forma. A nota iniciava-se assim: “A prefeita municipal comunica….”.

Na verdade, a impressão que se tem é que a gestora afastada, e seu grupo, continuam dando as cartas no reino.

Um documento originário da procuradoria do município, revisado por advogados e encaminhado para o gestor assinar com o gênero trocado, é imperdoável. E o pior: O prefeito assinou e mandou publicar. A emenda foi pior que o soneto.

A gestora afastada pelo Ministério Público Federal em função das graves denúncias formuladas pela Polícia Federal costumava explicar para o TCM (Tribunal de Contas dos Municípios) os gastos inusitados com valores exorbitantes, como erros de digitação. Será que o atual prefeito, além de ter que explicar os gastos, terá também que justificar o gênero com o mesmo argumento?

Mas, afora a desatenção de todos, vamos ao conteúdo do documento.

Pagar R$300.000,00 para uma apresentação de um cantor, num momento de crise como a que estamos passando é, no mínimo, uma brutal insensatez.

A prefeitura dispensa pessoal alegando necessidade de se enquadrar na lei de responsabilidade fiscal. Fecha hospital dizendo que não tem dinheiro pra pagar aluguel. As aulas estão para ser iniciadas e as escolas não passaram pelas reformas imprescindíveis. Ruas esburacadas e impróprias para trafegar. Enfim, se formos aqui enumerar as prioridades, a administração teria que cancelar os festejos de momo e direcionar os recursos do município para o que realmente interessa.

Não dá pra gastar um milhão, sei lá quanto, com carnaval e não ter fitinha de glicose nos postos de saúde. Sacrificar a saúde e a educação dos moradores pra fazer presença com turistas interessa a quem?

Respeito e seriedade no trato com a coisa pública, principalmente no que se refere à aplicação dos escassos recursos, têm o reconhecimento da sociedade.

Reconheço ser difícil agradar a todos, mas é dever e obrigação dos gestores atenderem as necessidades básicas do morador e eleitor que os elegeram. E, pelo que me consta, carnaval com Gustavo Lima não é uma dessas prioridades.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

× Envie uma