O Portal de notícias de Porto Seguro

Câmara volta a criticar concurso público em Porto Seguro e insiste na sua anulação

3 990

A Câmara de vereadores de Porto Seguro retomou, na sessão desta quinta-feira, 05/12, as críticas à organização do concurso público realizado no final da semana passada na cidade

Além dos questionamentos anteriores que se referiam à prorrogação da data de inscrições, da antecipação da data das provas e do confinamento de religiosos que adotam o sábado como dia sagrado, em salas, aguardando o pôr do sol para iniciarem suas provas, dentre outras; somaram-se novas ocorrências, registradas nos dias do concurso, tais como, salas fechadas onde aconteceriam as provas, ausência do Nº do CPF dos candidatos que lhes garantiriam o acesso ao local e dificuldades para identificarem o local correto para realização das provas, e que provocaram uma enxurrada de queixas ao Ministério Público e registro de B.O (Boletim de Ocorrência) em delegacias da cidade.

“Este concurso foi uma farsa; uma vergonha para o município, patrocinada por uma empresa irresponsável”, desabafou o vereador Robinson Vinhas.

O vereador foi acompanhado nas críticas ao concurso, especialmente ao IBRAE; instituto responsável pela organização do mesmo, pelos vereadores Geraldo Contador: “Não respeitou nem a Constituição Federal que prevê a liberdade religiosa”; Lázaro Lopes: “Repudio por completo esse concurso” e Cido Viana: “Caso se confirme essas denúncias; precisa ser cancelado.

Ao final a vereadora e presidente da Casa, Ariana Prates, solicitou aos vereadores que compõem a comissão formada para acompanhar a realização do mesmo, que apurem junto ao Ministério Público e delegacias do município, o volume e teor das ocorrências registradas, para que a Casa volte a se posicionar sobre o assunto.

  1. […] As irregularidades do certame persistiram na data da aplicação das provas, com diversas e variadas reclamações, e registro de Boletins de Ocorrências (BO) no MP e delegacias de Polícia do município; o que levou os vereadores a pedirem novamente, em plenário, a sua anulação (leia aqui) […]

  2. […] inclusive com pedido de impugnação formulado pela Câmara de Vereadores ao Ministério Público (leia aqui), agora passou à condição de […]

  3. Eduardo Diz

    De fato , esse concurso realizado pela ibrae demonstra várias irregularidades: primeiro – as inscrições seria até o dia 29/10/2019 e a ibrae colocou um edital complementar ratificando e prorrogando para o dia 03/11/2019. Segundo: muitos candidatos foram prejudicados com relação ao local das provas. Terceiro: houve divulgação pela ibrae de três gabaritos. ( os dois primeiros errados e o terceiro oficial. Quarto: houve nove questões anuladas.( NADA MAIS JUSTO QUE SEJA ANULADO ESSE CONCURSO)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

× Envie uma