O Portal de notícias de Porto Seguro

“A Muralha” está em Porto Seguro para o Circuito Sul Americano de Vôlei de Praia

Ricardo conta sobre sua história como medalhista olímpico e com 43 anos nem pensa em parar de jogar!

0 783

Acostumado com pódio em Olimpíadas Mundiais, Ricardo Alex Costa, o Ricardo da “eterna dupla Ricardo e Emmanuel” confessa: “fico nervoso, suando em entrevistas”. Conhecido como A Muralha ou Block Machine por seu bloqueio fantástico, nos seus 2 metros de altura e 113 kgs, esbanjou sutileza e simpatia na entrevista que acaba de conceder ao Portal Jojô Notícias, no La Torre Resort, onde está hospedado até amanhã. Veio dos Estados Unidos, onde mora atualmente, para jogar na etapa Grand Slam na Praia do Lugar Comum, em Nova Viçosa.

Seus prêmios individuais são nada menos do que de melhor jogador do Circuito Mundial em 2005 e 2007; melhor jogador do Circuito Banco do Brasil 2006 e 2011; Rei da Praia e Rei dos Reis em 2002; melhor ataque do Circuito Banco do Brasil em 2000, 2004, 2005, 2007, 2008 e 2010; melhor jogador ofensivo do Circuito Mundial em 2005, 2006 e 2007; melhor ataque do Circuito Mundial 2005 e melhor bloqueio do Circuito Banco do Brasil em 1999, 2000, 2001, 2003, 2014 e 2015.

Ricardo, que é baiano de Salvador, defenderá o Brasil com George, da Paraíba. É a primeira vez que jogará com George que tem a idade de seu filho, Pedro Henrique, bloqueador e com quem sonha se aposentar jogando. Segundo Ricardo, a diferença de idade na quadra não atrapalha, jogar com George é uma troca de experiências. Eles já treinaram muito e até jogaram contra. Ricardo elogiou George e acredita positivamente na parceria.

Com Emmanuel foram 11 anos de história e muitas conquistas. Ricardo coleciona títulos, como o ouro de Atenas, que lembra como o grande marco de sua história e do vôlei de praia masculino para o Brasil. Já tinha prata em Sidney e teve bronze nas Olimpíadas de Pequim. No Circuito Banco do Brasil, é hexacampeão!

Quanto a jogar na Bahia, sua terra natal, Ricardo declara que é muito satisfatório voltar para casa, onde tem família e amigos e gostaria de poder vir mais, mas “vida de atleta é assim mesmo, muito corrida”. Ele também enfatizou sua paixão por ensinar e passa a dica para os mais novos que estão ingressando na carreira ou pretendem jogar – “tem que ter prazer no que faz e disciplina para os treinamentos!”

No Sul Americano de Viçosa serão 16 times do masculino, duas equipes chilenas, duas argentinas e duas venezuelanas, além de representantes do Uruguai, Colômbia, Paraguai, Peru e Guiana Francesa. Os times são divididos em quatro grupos com quatro duplas, com os dois melhores de cada chave avançando às quartas de final da competição.

Dos brasileiros, teremos ainda a estreia de três parcerias, Thiago (de Santa Catarina) e Bruno de Paula (do Amazonas) que disputam o primeiro torneio juntos, Fernandão (do Espírito Santo) e Ramon Gomes (do Rio de Janeiro), Hevaldo (do Ceará) e Arthur (do Paraná) e ainda, a dupla João Pedro (também do Paraná) com Lucas Sampaio (outro carioca).

O torneio também conta com o feminino e a primeira competição oficial de duas equipes brasileiras, de  Maria Clara (do Rio de Janeiro) e Carol Horta (do Ceará, medalhista de bronze nos Jogos Pan-Americanos de Toronto, em 2015) e Juliana (do Ceará) e Andressa (da Paraíba). Ainda nas duplas femininas Ana Patrícia (mineira) e Rebecca (cearense), Tainá (do Sergipe) com Victoria (do Mato Grosso do Sul), Josi (mais um de Santa Catarina) com Lili (Espírito Santo), Rafaela (Paraíba, também) com Fabíola que é baiana e por fim a carioca Anne Catherine com Ana Carolina do Mato Grosso do Sul.

É a primeira vez que um torneio como esse acontece em Nova Viçosa. O ranking geral do Circuito Sul-Americano é feito apenas para os países, contando a pontuação da dupla mais bem colocada das nações em cada parada, mesmo que um país tenha mais de uma dupla no pódio. Os campeões de cada torneio somam 200 pontos, o vice, 180, o terceiro colocado, 160, reduzindo 20 pontos em cada posição seguinte.

Com sete etapas, a quinta também acontecerá por aqui, em março, em Santa Cruz Cabrália.

Além dos jogos, o circuito em Nova Viçosa conta com oficinas de vôlei de praia e interação dos atletas com o público, com entrada franca, será uma ótima oportunidade da população baiana e turistas que passam pela cidade de ficar perto dos ídolos nacionais e internacionais.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.