O Portal de notícias de Porto Seguro

Desmaio, tumulto e revolta de populares é o triste retrato das filas na Caixa Federal em Porto Seguro.

0 1.210

Há tempos, as filas e aglomerações formadas na porta e imediações da Caixa Econômica Federal em Porto Seguro causam indignação a todos e revela indícios de uma “tragédia anunciada”.

Com o retorno do pagamento do “auxílio emergencial” pelo Governo Federal, a partir de 06 de abril deste ano, os sinais e as cenas são claros de que o problema se intensificou.

Nesta sexta-feira, (09/04), em meio a enorme aglomeração, um cliente que estava na fila, sofreu um mal-súbito, desmaiou, provocando enorme revolta dos populares presentes e constrangendo os funcionários da instituição.

 

Diante dos fatos, o Sindicato dos Bancários da Região emitiu uma nota que transcrevemos abaixo:

 

“O tumulto gerado na agência da Caixa Econômica Federal em Porto Seguro na manhã desta sexta-feira, 09/04, quando um cliente teve um mal súbito e desmaiou, gerando protestos e ameaças de populares contra os colegas da unidade são efeitos colaterais da gestão da empresa orientada pelo governo federal.

Demitem empregados, reduz seu papel social e joga a população contra os seus trabalhadores e vice versa.

A unidade de Porto Seguro é uma das “praças” mais demandadas da região e já era para estar funcionando a prometida unidade no bairro Baianão.

Para piorar, os bancários da Caixa atendem sozinhos os pagamentos do auxílio emergencial, que voltou a ser liberado novo lote essa semana, com menos empregados, metas abusivas por venda de produtos, risco sério contra a saúde dos empregados e total desrespeito contra os clientes.

Se não bastasse, a Caixa piorou o procedimento; a Caixa bloqueou várias contas, transformando as contas poupança em conta-produto. Nas últimas semanas, mesmo antes do pagamento do emergencial, já estava tumultuado o atendimento, com ocorrências de xingamentos e ameaças sofridas pelos bancários todos os dias por causa disso.

Agora somou a fila das contas bloqueadas e a fila do atendimento emergencial.

Apelamos para as instâncias da Caixa – Gerência Geral, superintendência executiva de varejo e superintendência estadual para tomar medidas urgentes para acabar com esse sofrimento generalizado.

Apelamos também para o poder público – Ministério público, Poder Legislativo e Executivo e apoio da polícia militar, para contribuir com a gestão do problema, que além de falta de condições de trabalho e atendimento por parte dos empregados da Caixa, sofrem ameaças diariamente, tudo em plena Pandemia, com risco grave de contaminação das pessoas envolvidas”.

 Sindicato dos Bancários do Extremo Sul da Bahia.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.