O Portal de notícias de Porto Seguro

Apesar dos desafios na administração e na saúde, Jânio Natal completa 200 dias de gestão com obras e esperança redobrada no mandato

0 3.599

É práxis na política, a gestão que assume, dizer que está colocando a casa em ordem, consertando os estragos de governos anteriores. No entanto, a atual administração de Jânio Natal em Porto Seguro preferiu não fazer alarde, utilizando dessa prerrogativa para justificar qualquer coisa nesse sentido. Vem fazendo sem falar.

Só para se ter uma ideia, durante os oito anos de Cláudia Oliveira, o pier municipal ficou totalmente abandonado, sem segurança alguma, virou ponto de usuário de drogas, onde pessoas urinavam e defecavam, tornando o local insuportável para os marinheiros e turistas.

A ex-prefeita, que esboçou o “início” das obras no fim de novembro do ano passado – menos de um mês antes de deixar o Executivo, colocou placa de identificação da obra, numa total aberração, e acabou largando o local abandonado à sorte e ao leu, convencida de que havia burlado a boa-fé do contribuinte e do eleitor.

Muitas administrações poderiam investir, primeiramente, nas suas demandas, as quais foram apresentadas durante a campanha no seu plano de governo, mas, numa questão de honra e compromisso, o primeiro passo de Jânio e Paulinho foi rescindir o sinistro contrato do Estacionamento “zona Azul”, uma promessa de campanha e que se concretizou muito antes do prazo projetado pela cética oposição. Jânio vem adaptando e, em seis meses de governo, já está prestes a entregar um novo pier municipal. No mesmo pier, onde já houve reuniões de estudos com técnicos para aí sim, cumprir o que está em seu plano de governo, com a instalação de uma marina para o município, como investimento no setor de Turismo para receber navios e cruzeiros marítimos.

Este exemplo ilustra muito bem, essa nova visão da “administração do bem”, de não perder os recursos de obras que se iniciaram de qualquer forma pela antiga gestão, mesmo que tenha sido apenas uma placa.

Além disso, logo que assumiu essa gestão, Jânio já se deparou com o município, assim como o mundo inteiro, enfrentando a crise sanitária desencadeada pela pandemia do Covid-19.

Jânio com ministros e a Secretária executiva do governo federal

Então, foram inúmeras ações de saúde realizadas em diversos distritos, por mais de uma vez, onde, em cada localidade visitada eram mais de 2 mil testes de Covid-19  aplicados e a vacinação ocorrendo concomitantemente. Também foram oferecidos: atendimento médico atualização do cartão do SUS; sanitização das ruas e do comércio; exame de diagnóstico da esquisostomose e de arboviroses; vacinações para raiva em animais de pequeno e grande porte.

Tudo isso ainda culminou na entrega, em menos de seis meses de um hospital para tratamento da Covid-19, em Arraial d’Ajuda. Essa ações proporcionaram à administração uma flexibilização das atividades econômicas, com a reabertura de templos e academias em horários normais, retorno dos barraqueiros e ambulantes e extensão dos horários comerciais, tudo, evidentemente, observados os protocolos de segurança em saúde.

E essa entrega toda que a gestão vem fazendo na saúde, é sinal do entendimento que o atual prefeito e seu vice, Paulinho Toa Toa têm, como já fez questão de frisar noutras entrevistas, de que é preciso investir na saúde, para que o turismo, principal fonte de renda do município, volte a prosperar.

Jânio, Jonga Bacelar e o Ministro Tarcísio

Nesse propósito foi reforçada a parceria que o prefeito tem com o deputado federal Jonga Bacelar (PL) que, devido ao livre acesso ao gabinete presidencial, já conseguiu investimento para a construção de escolas nas zonas rurais, e incluiu, já no orçamento de 2022, os recursos necessários para a duplicação da BR-367, rodovia que liga Porto a Cabrália, que tem tudo para ser contemplada.  E agora, recentemente, realizando o recadastramento dos servidores municipais, surge uma esperança de dias melhores para o município.

Enfim, após anos de muita corrupção da Administração Cláudia Oliveira /Beto Axé Moi, que se encontram hoje, ambos em prisão domiciliar, com tornozeleira eletrônica, passaporte confiscado e agonizando com suas melancólicas despedidas da política, acusados pelo MPF de desvios de dinheiro, formação de quadrilha entre outros crimes contra o erário público, assumir uma gestão que tem ainda como pano de fundo a maior crise sanitária da história recente da humanidade, com a pandemia do Covid-19, e em seis meses cumprir tudo isso que vem sendo apresentado, com ótimas projeções para um futuro próximo; realmente, é de tirar o chapéu, até o momento, para essa atual administração.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.