O Portal de notícias de Porto Seguro

Falso médico da Dutra enganava mulheres e fingia ser pastor

0 2.681

O falso médico que trabalhava na rodovia Presidente Dutra, a mais movimentada do País, também tinha outros personagens no currículo, como falso namorado e falso pastor. O caso de Gerson Lavisio, de 32 anos, foi descoberto após colegas suspeitarem da falta de habilidade dele nos atendimentos. Em um dos acidentes em que atuou, o farsante chegou a ordenar a amputação de uma vítima de trânsito, ainda na estrada, no interior de São Paulo.

Segundo reportagem do Fantástico, o criminoso usava um CRM de um médico já falecido e apresentava um diploma fraudado.

“A conduta que ele tomava não era de um médico. Por exemplo, quando é problema de coluna, a gente tem que aplicar um analgésico ou até mesmo um remédio via oral, mas o que ele fez? Ele aplicou um calmante 10mg na veia. O usuário ficou desfalecido já, não estava nem andando mais. E também teve um paciente que precisou ser suturado. Ele fez a sutura, mas os pontos que ele fez estavam todos irregulares, ele não conseguia fazer o laço do ponto. E fez tudo errado”, relatou uma testemunha.

Essa não foi a primeira vez, no entanto, que Gerson praticou a medicina de forma ilegal. Nos últimos quatro meses, ele foi contratado por três empresas diferentes da área da saúde. Ele chegou a trabalhar até mesmo em um posto de saúde em Parelheiros (SP), onde atendeu 18 pacientes no ano passado. Na ocasião, ele usou o registro de outro médico que ainda atua na profissão. Ao ser denunciado, ele foi preso e liberado; dessa forma, ele conseguiu seguir com a farsa.

Além de se passar por médico, Gerson tinha ainda outra profissão falsa: a de pastor. De acordo com a reportagem, o criminoso atraia fieis em igrejas e pedia contribuições para viagens missionárias que, segundo o Fantástico, nunca ocorreram.

Gerson também enganava mulheres e mantinha relacionamentos falsos, alegando que queria casar e constituir uma família com elas. Uma das vítimas, Regiane Arabi, relatou que descobriu que seu suposto namorado tinha outra companheira e decidiu entrar em contato com ela. A vítima descobriu, então, que Gerson enviava mensagens muito parecidas com as quais recebia, prometendo uma relação séria, para a outra mulher.

Durante entrevista ao programa, Regiane chegou a receber uma mensagem de áudio de Gerson. “Meu advogado mandou eu ficar tranquilo, vou fazer meus plantões ‘de boa’. Tudo tem seu tempo, né? Eu sei que isso vai passar”, afirmou.

Concessionária nega amputação em estrada

Em nota, a CCR Rio-SP, concessionária responsável pela administração da via, nega que uma amputação tenha sido feita na estrada.

“A vítima teve o pé esquerdo lacerado e esmagado na batida e, após o desencarceramento realizado com apoio de equipe do Corpo de Bombeiros, foi encaminhada com os membros inferiores à Santa Casa de Lorena. O paciente deu entrada no hospital com os membros inferiores visíveis. E, após avaliação multiprofissional, foi encaminhado para o Centro Cirúrgico para um procedimento de emergência.”

A decisão da cirurgia, segundo a CCR, ocorreu após a entrada no hospital. “Não houve qualquer procedimento de amputação no local do acidente seja pelo falso médico ou qualquer outro profissional envolvido na ocorrência”, reiterou a nota.

Por Redação Terra

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.