O Portal de notícias de Porto Seguro

Continua a sina, Brasil perde para a Argentina que conquista seu 5º título da Copa América

0 1.308

Em pleno maracanã, a seleção portenha não tomou conhecimento e derrotou a seleção brasileira pelo placar de 1X0, gol marcado pelo Di Maria aos 21 minutos do 1º tempo.

A noite deste sábado, 10/07, foi do Messi que comandou a Argentina, finalmente, a uma conquista de  um título após 28 anos de jejum. O gol solitário de Di María por cobertura no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, garantiu a taça da Competição

Messi levou a melhor com Neymar

O fraco primeiro tempo teve apenas uma única grande chance. Rodrigo De Paul, um dos destaques desta Copa América, deu um lindo lançamento para Ángel Di María. O meia-atacante do Paris Saint-Germain aproveitou a falha do lateral-esquerdo brasileiro Renan Lodi e tocou por cima do goleiro Ederson para abrir o placar aos 21 minutos.

Tite mudou para o segundo tempo: tirou um volante para colocar mais um atacante. O amarelado Fred deu lugar a Roberto Firmino – e o Brasil passou a jogar num 4-2-4, com Everton Cebolinha pela esquerda,  Richarlison pela direita e Neymar e Firmino com liberdade pelo meio.

A alteração deu certo nos primeiros minutos e a seleção brasileira passou a dominar completamente as ações. Richarlison até chegou a empatar aos oito minutos, mas o gol foi anulado por impedimento do atacante do Everton, da Inglaterra. O “Pombo” apareceu novamente, livre dentro da área após lindo passe de Neymar, mas o goleiro Emiliano Martínez fez boa defesa.

Foi a primeira vez que o Brasil não conseguiu vencer uma edição de Copa América jogando em casa. Em 1919, 1922, 1949, 1989 e 2019, as outras vezes que sediou o torneio, a seleção brasileira ficou com o título. Também é a primeira final que os brasileiros perdem para o maior rival desde 1937. Em cinco decisões, esta é apenas a segunda vitória da Argentina – nas finais da Copa América de 2004 e  2007 e da Copa das Confederações de 2005, deu Brasil.

Lance do único gol marcado por DiMaria

O torneio deste ano foi marcado pela pandemia da Covid-19, e o Brasil foi o único país das Américas que concordou com sua realização em território Brasileiro. A competição aconteceu com os estádios vazios e diversos jogadores testados positivamente para a Covid.

Além dessas constatações, a mais reveladora foi a de que o futebol aqui nas Américas anda de mal a pior. Uma sequência de jogos horríveis, decididos nos pênaltis e um futebol “anos  luz”, muito aquém dos vistos nos gramados europeus e transmitidos ao vivo por canais independentes. Com pouca empolgação, a seleção foi o reflexo da torcida que há muito desconfia do time, dos jogadores, e da direção, órgão máximo diretor do futebol brasileiro cujo presidente da CBF, foi recentemente afastado, devido às graves denúncias de assédio sexual a uma servidora da Instituição.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.