O Portal de notícias de Porto Seguro

Porto Seguro exporta imagens de Drone para o mundo

Apaixonante no ar e no resultado do trabalho, o VANT parece um brinquedo, mas exige cuidado e responsabilidade para pilotar.

0 480

Desde 2015, o DJ Dimitry Georgopoulos resolveu utilizar sua experiência na edição de músicas para alçar um voo maior, e decolou com sua marca DG Drone. As regras da ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) para regulamentar os voos só vieram em maio de 2017, mas desde o início de seu trabalho com o VANT – Veículo Aéreo Não Tripulado, Dimitry tomou providências para prezar a segurança de todos.

Antes de comprar o seu equipamento realizou uma criteriosa pesquisa, falou com pessoas de São Paulo e fez um treinamento com o acompanhamento da Aeronáutica. Dimitry se especializou em voos para os ramos imobiliário e de hotelaria, o forte de Porto Seguro. “Os empresários querem mostrar a área para os clientes e imagens aéreas ficam espetaculares, exibem a amplitude do empreendimento e sua localização”, explica Dimitry.

Dimitry Georgopoulos pilota seu DJI Inspire 1 classe 3. (Foto Junio Teles)

Além de captar imagens para os proprietários de casas, fazendas e hotéis de Porto Seguro, o piloto presta serviços para produtoras de vídeo de São Paulo, Minas Gerais, Brasília e para o exterior do Brasil. Um dos seus vídeos rodados lá fora foi da banda Breaker Novogratz, filmado em Trancoso. “Foi um trabalho lindíssimo que me deu muito prazer em fazer. Veio toda a família do cantor, seus irmãos participaram das filmagens e quando ficou pronto foi emocionante de ver. Esse vídeo passou até em telões nas ruas dos Estados Unidos e me ligaram de lá elogiando, fiquei muito orgulhoso”, relata o piloto.

Outro trabalho que Dimitry destaca por ser incomum foi um pedido de casamento surpresa. O noivo o contratou e foi montado um café da manhã na praia. O vídeo eternizou todo o momento com a reação da noiva de um ângulo que mostra toda a paisagem paradisíaca das praias de Porto Seguro. Os noivos utilizaram o trabalho editado para passar na festa do casamento.

Uma das questões que Dimitry faz questão de salientar é quanto a voar com segurança. Além de respeitar as normas estabelecidas pela da ANAC, ele procura estudar bem o local onde será realizado o serviço. “Pode ser uma mata fechada com difícil acesso ou uma área aberta, mas sempre temos que tomar cuidado para ver se tem pessoas ou animais próximos.” Dimitry conta que nunca sofreu nenhum imprevisto porque tem uma regra própria de manter uma distância de 30 metros afastados das pessoas. “É preciso estar atento a esses eventos onde se tem drones sobrevoando, as pessoas precisam ser avisadas que há uma aeronave sobre eles”.

O governo exige um seguro obrigatório para drone que funciona como o DPVAT para automóveis e a seguradora Maphre aproveitou o nicho de mercado e lançou um seguro para terceiros que sai na faixa de R$800,00 anuais e cobre pessoas e bens no solo. A indenização máxima é de aproximadamente 233 mil Reais.

Antes de decolar, Dimitry confere o check list. (Foto Junio Teles)

Além de se preocupar com as pessoas, Dimitry fica atento aos vários tipos de pássaros que temos na região e podem se aproximar do voo, atacar, causar acidentes, quebrar o aparelho ou se machucarem. Ele viveu uma experiência quando realizava uma filmagem – observou a chegada de um urubu e em seguida de muitos outros, mas antes que se aproximassem demais ele conseguiu baixar o drone.

Outro trabalho que Dimitry também já foi solicitado foi o de cobertura de acidentes naturais, como o que foi exibido no Jornal Nacional sobre a erosão da estrada na Ponta Grande. A TV Bahia fez a matéria e ele captou as imagens aéreas.

Quanto à logística do seu trabalho com Drone, Dimitry conta que faz sempre voos diurnos e em dias sem possibilidade de chuva. Ele adora quando acorda com um “céu de Brigadeiro”, azul e sem ventos. O máximo de vento que ele se permite voar é 30 km/hora. As condições do clima também interferem na bateria, se tiver alguma rajada de vento, gasta mais bateria. “É muito importante checar as baterias antes da decolagem e uma dica para os iniciantes é voar até que o painel avise que tem 40% de bateria, para voltar sem atrapalhar o trabalho”, explica Dimitry. Ele deixa seu drone sempre limpo e passa produtos anticorrosivos. Antes de decolar também é essencial verificar se as hélices estão bem encaixadas.

Quem estiver pensando em ter um drone para lazer ou por trabalho deve consultar as regras da ANAC no link http://www.anac.gov.br/noticias/2017/regras-da-anac-para-uso-de-drones-entram-em-vigor

Para conferir os vídeos citados na matéria, acesse:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.