O Portal de notícias de Porto Seguro

Parem de ser “filhos da p….”, esbravejou o líder do governo Dilmo Santiago, da tribuna da câmara.

0 716

Num pronunciamento irado e indecoroso, nesta quinta-feira, 18/10, o vereador e líder do governo na câmara de vereadores de Porto Seguro, Dilmo Santiago, perdeu a postura e insultou a oposição à prefeita Cláudia Oliveira, com palavrões e expressões de baixo calão, em defesa das ações da administração e em revolta às críticas frequentes da oposição.

O comportamento do vereador deixou perplexas as pessoas presentes no ambiente, sendo inclusive repreendido pelo presidente da Casa, que o lembrou do decoro parlamentar previsto no regimento interno da Casa.

“Parem de ser filhos da p…, só falam mentiras. Ninguém aguenta mais esses palhaços, e não vamos aceitar mais esse tipo de coisa”, resmungou o vereador.

O destaque, e o que mais chamou a atenção na sessão, foi o pronunciamento do vereador Cacique Renivaldo, que num tom de desabafo, denunciou a retirada das máquinas do distrito de Itaporanga, após a divulgação do resultado das eleições. “ Quando as máquinas apareceram no município, pedi que só retirassem de lá quando os serviços fossem concluídos, mas bastou divulgar os resultados e aconteceu o contrário. Isso é revoltante! Não aceitamos isso. É uma total falta de respeito”, desabafou Renivaldo.

O vereador pediu também a convocação de uma reunião entre o executivo e os vereadores para esclarecer a situação.

O vereador Nido destacou o trabalho desenvolvido pelo Conselho Ambiental de Caraívas, especialmente no tocante à ideia de proibir o uso de embalagens “long-neck” no distrito. Relatando as dificuldades da coleta de lixo desses produtos na localidade, o vereador pediu o engajamento da imprensa no sentido de divulgar essa ação. Ainda em seu pronunciamento, o vereador, em nome da comunidade de São Geraldo, agradeceu à admin istração e ao deputado federal Ronaldo Carletto, pelo inicio da perfuração de poço artesiano no distrito, que segundo o vereador, beneficiará cerca de setenta famílias na região.

Por fim, o assunto mais abordado por todos, foi a suposta paralização das obras no município e a  entrada em vigor da taxa de ordenamento do acesso e circulação dos ônibus e vans no município.

O vereador Robinson Vinhas, em tom de zombaria, se encarregou da defesa implacável de que não houve paralização das obras. “Claudia Oliveira endoidou de vez, nunca vi tanta obra na cidade. A Rua da Linha é um sonho que virou realidade”, comemorou Robinson Vinhas.

Todos defenderam a cobrança do imposto. Alguns mais contundentes, como o vereador “Bolinha”, que chegou a declarar: “Temos um potencial de belezas naturais e históricas únicas. O município pode cobrar o valor que deseja. Todos os destinos turísticos cobram. Se não podem pagar; temos que avaliar que tipos de turismo querem pra nossa cidade. Não podemos ser reféns desses movimentos na cidade”, pontuou o vereador. Outros vereadores foram mais contidos, reflexivos e ponderaram sobre a infraestrutura e o rateio da arrecadação previsto na lei. O vereador Rodrigo Borges, lembrou que o estacionamento para os ônibus e vans; assim como as ruas onde seria permitido estacionar, foram ignorados na implantação da lei. O vereador considerou também a possibilidade do valor arrecadado ser destinado para a manutenção de praças e monumentos históricos.

Finalizando, o vereador e presidente da Casa, Evai Fonseca, anunciou a presença do Secretário de Turismo, Richard Alves, na próxima terça-feira, 23/10, para discutirem a situação. “Caso seja necessário emendar a lei, para seu aperfeiçoamento, isto será feito, explicou o presidente. O vereador também alertou seus pares para o recado dado nas urnas. “Foram 16 mil votos inválidos entre nulos e brancos. Temos que arregaçar as mangas para mudar essa situação. Acredito que nesses dois anos que nos resta, juntos, executivo e legislativo, faremos a diferença para fortalecer os objetivos futuros”, concluiu o vereador.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.