O Portal de notícias de Porto Seguro

ONG’s protocolam pedido de embargo à construção de mercadão às margens da BR-367 em P. Seguro

0 1.499

Após uma série de reportagens postadas aqui, no JoJô Notícias, no mês anterior e que denunciavam, com entrevistas e manifestações de opiniões de especialistas e autoridades ambientalistas (leia aqui), as ONG’s SOS Mata Atlântica e GAMBÁ (Grupo Ambientalista da Bahia) protocolaram, também no mês anterior (entre 07 e 16/08) no Ministério Publico de Porto Seguro, pedido de intervenção urgente do órgão em defesa do patrimônio natural de Porto Seguro.

Ofício da SOS Mata Atlântica

Assim como no JoJô Notícias, as ONG’s relatam a iminência de perca do restante de mata atlântica, no coração da cidade, em função da construção de um hipermercado (Atacadão) às margens da BR-367, em Porto Seguro. O projeto de construção da famigerada obra se encontra em estágio avançado, com permissão e licenciamento de órgãos ambientais como INEMA e Prefeitura Municipal de Porto Seguro.

Nos pedidos as ONG’s cobram a implementação do PMMA elaborado entre 2013 e 2014, numa parceria entre a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, a Conservação Internacional, o GAMBÁ, a Fundação SOS Mata Atlântica e Movimento de Defesa de Porto Seguro que, após amplo debate com a sociedade local e instituições públicas em nível estadual, federal e até mesmo internacional, como a Cooperação Alemã, foi aprovado por unanimidade pelo Conselho Municipal de Meio Ambiente de Porto Seguro em maio de 2014.

As ONG’s finalizam sugerindo que a construção de novos empreendimentos devem ser implantados preferencialmente em áreas já substancialmente alteradas ou degradadas, como prevê o PMMA aprovado, e apelam para o empenho do Ministério Público, para salvaguardar os patrimônios naturais, de interesse coletivo e buscar conciliar a proteção dos remanescentes da Mata Atlântica com o desenvolvimento sustentável da região.

Convém lembrar que já se encontra, em área adjacente, a construção de um mercadão em consonância e respeito às regras ambientais, estaduais e municipais, que não desafiou e/ou agrediu o valioso patrimônio natural.

Ofício da GAMBÁ

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

× Envie uma