O Portal de notícias de Porto Seguro

Mobilidade urbana reúne 500 pessoas no 1º Fórum Uni-lideres no Centro de Cultura em Porto Seguro

0 270

Com um público surpreendente (cerca de 500 pessoas), o “1º Fórum UNI-Líderes”, reuniu nesta quinta-feira, 04/04, no Centro Cultural de Porto Seguro, estudantes, empresários, comerciantes e moradores de uma forma geral, para assistirem às palestras de engenheiros, arquitetos e pessoas envolvidas e preocupadas com o tema.

Foram três horas de interação, exposição de slides e vídeos que ressaltaram a importância da discussão e a brevidade com que o assunto deve ser tratado no nosso município.

Os trabalhos foram iniciados com um bate-papo informal, improvisado, com estudantes que compareceram em massa ao evento e que se revezaram em perguntas aos palestrantes referentes à grade curricular dos cursos de engenharia e arquitetura, mercado de trabalho e identidade vocacional com as profissões

.

O FÓRUM:

Após os agradecimentos do empresário Luigi Rotunno, aos cerca de 120 associados da UNI-Líderes Empresarial, aos patrocinadores e colaboradores do evento, e à plateia presente; Jose Tadeu Braz, engenheiro de tráfego e especialista em trânsito, subiu ao palco e de forma didática, com muito brilhantismo, utilizando de gráficos e imagens, discorreu sobre os problemas de mobilidade urbana no Brasil e no mundo, estabelecendo analogias com o que vem acontecendo no nosso município.

Jose Tadeu, especialista em obras que impactam a qualidade de vida das pessoas, ilustrou sua palestra com dados e números oficiais, sobre os riscos diários que o trânsito das cidades nos impõe.

São míopes, daltônicos, pessoas drogadas, idosos, desempregados; todos conduzindo automóveis num transito desordenado e mal pensado. Citou o “Traffic Calming”, conjunto de medidas para suavizar e adequar o transito ao pedestre, muito usado em capitais no exterior e nas grandes cidades brasileiras, que consiste na criação de fontes, lombadas, mini rotatórias, chicanes, portais, estreitamentos etc., nas ruas e travessias dos centros urbanos, com o objetivo de reduzir velocidades e minimizar os danos aos transeuntes.

Em seguida, um colóquio com a arquiteta,  Ana Azambuja, a corretora de imóveis, Nilza Córdoba e a presidente da Fábrica do Ser, Luciene Oliveira, mostrou a importância da realização do Fórum sobre a mobilidade Urbana. As três convidadas realçaram a dependência do desenvolvimento de suas áreas com o planejamento para a mobilidade. Destaque para Luciene Oliveira que de forma emocionada e despojada relatou as dificuldades das pessoas com deficiência numa cidade onde as calçadas não oferecem a menor condição de locomoção, os logradouros públicos ignoram as leis que tentam incluir essas pessoas e as empresas de transporte coletivo tripudiam e debocham da população, ao negar a acessibilidade das pessoas com deficiência em ônibus sem rampas e poucos assentos destinados aos mesmos.

Convidados Gabriel, Altair e Wilbert

Na sequência, o professor arquiteto e urbanista Valfredo A. Oliveira, um dos planejadores da cidade de Palmas, capital do estado do Tocantins, ilustrou com imagens e vídeos, o que deve e o que não deve ser feito na urbanização de uma cidade.

Valfredo criticou o plano diretor da cidade de Porto Seguro, declarando que o plano trata de tudo, mas não tem gestão e muito menos prioridades. “Não é impossível estabelecer uma hierarquia, organizar e planejar uma mobilidade urbana; basta revisar, promover alterações produtivas e ter discricionariedade. É preciso parar de improvisar, brecar os interesses pessoais e aplicar conhecimento técnico”, pontuou o urbanista Valfredo.

Por último, num 3º painel, foram reunidos no palco os moradores de Trancoso, Fábio Gobério, Gabriel Bittencourt, Altair, e Wilbert, que descreveram suas experiências pessoais, aliadas às suas atividades na cidade de Trancoso. Todos destacaram os males que o trânsito atual vem causando ao distrito; “precisa de atitude ousada. Um prefeito e vereador retado, empreendedor, que tenha coragem de suspender o trânsito de veículos pesados dentro do distrito”, frisou o empresário Altair.

“O trânsito está provocando a perca de identidade da “vila turística”, que tem características singulares. O poder público tem que ter atitude para ordená-lo. Instituir um ordenamento, ciar uma zona de transbordo, se faz urgente”, concluiu Gabriel.

Ao final, o empresário e diretor-presidente da UNI-Líderes Empresariais, Luigi Rotunno, voltou a agradecer a presença de todos, e anunciou, para os próximos meses, novos eventos significativos e importantes para a cidade.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

× Envie uma